domingo, 25 de abril de 2010

Queria não mudar tanto. O Raul falava que preferia ser essa metarmofose ambulante, mas eu não. Eu detesto ter uma cabeça tão a mil, tão diferente e tão inconstante assim.

Detesto ter medo de acordar amanha e não te amar mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário