quarta-feira, 12 de maio de 2010

Não deu pra me controlar

Acabei de ler um post no tumblr de uma amiga minha e o que ela escrever me bateu muito na cabeça.

Fuckin wasted generation.

Seriamos nós de fato uma geração perdida? Porque se formos parar pra pensar, somos uma geração tão megalomaniaca e cheia de ostentação que será que não nos perdemos em alguma esquina?

Se você parar pra pensar, nós não somos nada alem do que uma geração movida pela mídia. Ok, sem teorias conspiratórias aqui sobre controle da mente, mas que a verdade seja dita: Somos bombardeados a cada segundo com uma quantidade tão absurda de informações que é dificil sermos certeiros ao escolher uma definição certa para o que somos, gostamos e fazemos. Nossas definições sobre nós mesmos são sempre mutáveis.

Não ta sacando o que eu to dizendo? Ok, então faça o exercicio de se definir. Faça isso nos 140 caracteres amados do twitter.

Impossivel, right? Voce pode tentar dar uma de cult e moderninho e usar algum quote do Leminski ou do Behr ou usar algum trecho de musica, mas mesmo assim eu sei que voce ia querer colocar um bocadinho mais, mostrar que voce conhece e faz um bocadinho mais que isso.



Ok, to fugindo do foco, voltando.

Mas o fato de sermos uma geração movida por excesso de informações não faz com que nos sejamos um epic fail. Usando o exemplo que a minha amiga usou, o projeto ficha limpa. Voce pode me dizer que a maioria das pessoas fez por modismo ou porque nao tinha nada pra fazer e eu nao vou discordar mas veja bem que se voce for levar por esse lado, o que foram os Cara Pintada no Collor, os movimentos contra a ditadura militar, o povo do Fora Arruda e por ai vai? Não é exatamente a MESMA coisa? Em todo movimento existe a galera de fato que se importa, que ta correndo atrás, mas a maioria NÃO liga e NUNCA ligou. É tudo inocente util, massa de manobra.

E cara, assim como toda geração, nós temos um foco diferente. Nesse momento temos liberdade sexual, visual, cultural, religiosa... Hoje eu abertamente posso escrever sobre sexo, usar microsaia e rebolar até o chão sem ser tachada de qualquer coisa. Posso ter um melhor amigo gay que não joga glitter pro ar, ouvir hiphop e ainda ir prum show de skinhead, posso estudar design e ser uma entusiasta política.



Afinal, somos mesmo geração perdida ou será que somos a geração que se encontrou?

Um comentário: