sábado, 31 de julho de 2010

Abraços

Parecem que se passaram anos desde a ultima vez que eu te vi.

Seus olhos não são de quem eu conheci anos atrás.
Ainda não consigo te olhar de verdade

Me pergunto quando viramos completos estranhos um para o outro.

sexta-feira, 30 de julho de 2010




Hold me like before
Hold me like you used to
Control me like you used to



No
You don't move me anymore
And I'm glad that you don't
'cause I can't have you anymore
But I thought you should know
You don't move me anymore
And I'm glad that you don't
Because I can't take it anymore
Você marcou mais na minha pele do que as tatuagens que você carrega no braço.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Distância


Penso que distância não é algo que se mede. É algo relativo, onde tudo depende. Percebi isso nessa ultima semana, onde esse fator me atingiu de três diferentes formas.

Existe a distância que te separa de quem você gosta. Essa que ao mesmo tempo que te faz rir sozinha quando você não quer. Talvez seja essa uma que possa ser medida em metros. Não, pera. Essa aqui parece que é o dobro, o triplo, o infinito de qualquer coisa que uma fita métrica possa medir. Distância que seu coração cria e que se soma a quilometragem de um interubano.


Outra é a que é criada. Ela não existia, mas de repente vira um rombo, um oceano no meio da história. Mas vale lembrar que pra isso existem pontes e navios, que nada mais são do que ligações espontâneas no meio da tarde onde tudo é posto em panos limpos.

E a pior de todas é a que machuca. A distância que quando você acorda você percebe que nem se você correr muito ela vai diminuir. É algo que por mais que você se esforce, nunca vai alcançar.

Só que o fato é que, pra essa ultima, eu não faço a menor questão de fazer com que ela fique menor.
Because neither one of us can know how long this love will last
So stay up in bed with me
Stay up and play with me all day and night

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Existe coisa melhor do que você ver as roupas esparramadas de quem você ama pela casa?

Já estou com saudades, e olha que você tá estacionado ali no portão.

Na madrugada de ontem eu me encontrei no lugar onde eu vi que nunca mais ia conseguir te amar de novo.
Me cortou a garganta, secou a minha boca e não consegui dormir mais até que fosse de manhã.

Quando cheguei em casa, precisei olhar as nossas fotos. Não me lembro quando foi a ultima vez que vi o seu rosto e consegui olhar de verdade. E se você olhasse pra elas, ia ver o quão claro é a divisão da nossa historia.

As vezes me pergunto se sinto sua falta, mas ai eu percebo que nem sequer lembro do seu aniversario. Alias, eu nunca lembrei.

sexta-feira, 9 de julho de 2010



Não posto aqui tem uma data. Escrevendo aqui rapidinho só pra dizer que finalmente o Ndesign chegou.

Muito frio, cachaça, putaria e design pra mim, beijossss.